saúde

HIV/Aids: Cinco canais no YouTube que ajudam a entender

on

O primeiro dia de dezembro marca o combate mundial à Aids. A data é voltada para a conscientização da doença que atinge hoje 36,7 milhões de pessoas no mundo, segundo dados de 2016 divulgados pela Unaids – um programa das Nações Unidas criado em 1996 que tem a função de criar soluções e ajudar países no combate à Aids.

Apesar do “descobrimento” da enfermidade ter ocorrido em 1983, até hoje o tratamento, a prevenção e o convívio com a doença auto-imune ainda são tabus para muitos. Com vistas nisso, nossa reportagem selecionou cinco canais no YouTube que podem ser usados como fonte de informação. Veja:

Gabriel Comicholi – O ator descobriu há dois anos que tem HIV. Com a descoberta, resolveu iniciar um canal sobre a doença. Nele, mostra o tratamento e fala com seguidores sobre seu dia-a-dia.

Discordantes – O casal Leandro Borba e Geovanni Henrique conta como é a relação entre sorodiscordantes, ou seja, apenas um tem o vírus. Os vídeos instruem os seguidores sobre como contar que você tem HIV para a pessoa com quem se relaciona e a diferença entre HIV e Aids.

Doutor Maravilha – Médico e gay, Marcos Borges também usa a plataforma de vídeo para falar da saúde da população LGBT. Segundo ele, a ideia do canal começou após o contato com pessoas com HIV e Aids que se queixavam do atendimento de médicos héteros. “Quando você vê no cuidado com alguém que tem a ver com você, como orientação sexual, você pode se abrir mais, o profissional pode obter mais informações e isso pode te ajudar”, diz. Os vídeos falam da descoberta do HIV, além de outras doenças, como HPV.

Chá dos 5 – O grupo formado por quatro amigos e sempre um convidado fala de diversos temas voltados para a população LGBT. Um dos vídeos é sobre o HIV. Nas palavras dos idealizadores do canal: “O Chá dos 5 é um programa independente no YouTube, e foi inspirado nos programas de debates nacionais e internacionais, idealizando a inovação deste formato com assuntos atuais, traçados com humor, conteúdo e muito entretenimento”.

Vida positiva – Felipe, com 21 anos, compartilha com as pessoas que assistem o seu canal a rotina de quem tem HIV. Ele mostra efeitos colaterais dos remédios e métodos de tratamento.

Comente Você Também!

comentários

Recommended for you

ThemeTF Osage - Multi-Use WordPress Magazine Theme