Velho conhecido do técnico Mano Menezes, o volante Elias, de 35 anos, foi apresentado pelo Bahia na tarde desta segunda-feira, 28, no CT Evaristo de Macedo, em Dias d’ Ávila, Região Metropolitana de Salvador (RMS).

Fora do perfil adotado pelo Tricolor nos últimos anos, período em que o clube priorizou a contratação de atletas mais jovens, o volante, que veio a com o aval do treinador, falou como foi a negociação e sobre o que lhe motivou em vir ao Bahia.

“A gente conversa. No futebol todo mundo se fala. Atletas, dirigentes, comissão. Tive boas informações do clube, é um clube que cresceu bastante na forma de administrar. Não tive dúvida na escolha para poder vir para o Bahia. Falei com o Mano também, ele me falou a respeito de como ia jogar, tudo mais. Ele já me conhece, então o papo com ele foi mais curto. Então, como eu falei, não tive dúvidas em escolher o Bahia”, disse.

Experiente, o atleta falou sobre o momento difícil do Tricolor, atual lanterna do Brasileirão, com nove pontos em 33 disputados.

“Pressão todo clube tem. Uns mais, outros menos. O Bahia, por sua grandeza, é considerado o maior do Nordeste, então a pressão vai existir. É trabalhar, não tem o que fazer. É trabalhar mais, falar menos, e tentar colocar em prática nos jogos para colocar o Bahia no seu devido lugar”, explica.

Revelando que já acompanhava o clube na temporada passada, Elias citou o que para ele é o principal motivo para a queda de rendimento do Esquadrão e ressaltou a necessidade de mais empenho entre os atletas .

“Pelo elenco, é uma equipe muito forte. Eu já vinha acompanhando desde o ano passado, com o trabalho do Roger. Fizeram um trabalho muito bom. Esse ano perdeu um pouco a confiança, e confiança se perde muito rápido, para você retomar, readquirir a confiança, demora muito. É aquilo que eu falei antes. É trabalhar, não tem o que fazer. É trabalhar mais, tentar se empenhar um pouco mais nos jogos. Ser um pouco mais duro com a partida e vencer, voltar a vencer, não tem outro jeito. Para tirar o Bahia dessa situação é voltar a vencer os jogos”, completou.

*A Tarde

Comente Você Também!

comentários