Prefeitura discute estratégias para auxiliar moradores de Arembepe e Jauá

Para a elaboração de um plano emergencial, com ações que visem dar celeridade e assistência às pessoas que estão sofrendo com a ressaca do mar que acontece na Costa de Camaçari, desde o último final de semana, secretários e representantes do governo municipal estiveram reunidos na manhã da última terça-feira (23/7), na sala de reuniões da Secretaria de Governo (Segov).

Na ocasião, o secretário de Turismo, Gilvan Souza, apresentou um relatório de danos causados pelo avanço do mar na Costa de Camaçari, nas localidades de Busca Vida, Jauá, Arembepe, Guarajuba e Itacimirim.

Em Busca Vida, o avanço do mar foi de aproximadamente 30 metros acima do limite de praia, contudo não houve danos físicos aparentes ou relatados. Em Jauá, o avanço do mar causou danos em todas as barracas, oscilando entre a destruição total das estruturas e invasão de areia nos quiosques cedidos pela Prefeitura. A alvenaria no entorno da praia foi destruída e os escombros que permaneceram tiveram sua base de areia retirada pela força das ondas.

Em Arembepe, ocorreram danos físicos e avanço das ondas em barracas, restaurantes e pousadas. Em Guarajuba, o avanço foi considerável, no entanto, a força das ondas e a ventania contribuíram para ampliar o assoreamento e retirada da base de sustentação dos coqueiros e barracas da região. Itacimirim teve aumento no volume do rio, de mais de 30 metros na faixa de areia, sem danos físicos permanentes nas barracas ou nos barcos alocados na areia.

Diante da gravidade ocorrida em Jauá e Arembepe, o titular da Prefeitura Avançada da Costa e vice-prefeito, José Tude, sinalizou que a condução do Plano de Ação fosse inicialmente relacionado a essas duas localidades. “Vamos listar as ações emergenciais e oferecer ao prefeito as soluções para que ele avalie o melhor caminho para resolver esses assuntos”, disse.

O secretário de Governo, José Gama, pontuou que as ações que foram realizadas nestes dias, a exemplo da retirada de barcos na praia de Arembepe, mostra o governo unido. “O governo está agindo, presente e envolvido com a dificuldade e a situação que cada pescador está enfrentando. Agora vamos seguir com um formato mais oficial para atender aos que ficaram vulneráveis com o fenômeno da maré”.

Com os efeitos da frente fria, 67 pescadores, entre toda a Costa de Camaçari, foram prejudicados. No entanto, a Defesa Civil está realizando um levantamento das situações de infraestrutura das barracas, restaurantes e embarcações para execução de ajustes. Segundo Ivanaldo Soares, coordenador do órgão, os imóveis que correm risco de colapso já foram interditados.

O secretário de Agricultura e Pesca, Antônio Falcão, e a secretária de Desenvolvimento Social e Cidadania, Andréa Montenegro, estão fazendo o cadastro e levantamento de pessoas em situação de vulnerabilidade, com colaboradores espalhados tanto em Arembepe, como em Jauá. A Secretaria de Serviços Públicos realiza limpeza das praias, com retirada de entulho e estruturas expostas.

Além das providências em andamento, a Prefeitura de Camaçari lança o programa municipal Mais Pesca nesta segunda-feira (29/7). O programa vai beneficiar a pesca artesanal e conceder a pescadores e marisqueiras incentivos financeiros.

Foto: Tiago Pacheco

Comente Você Também!

comentários