Camaçari: Beneficiários recebem cartões do Programa Bolsa Social


Investir na assistência social e em políticas públicas para as pessoas em vulnerabilidade social são algumas das ações realizadas pela Prefeitura de Camaçari, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania (Sedes). Reflexo disto, na manhã desta quinta-feira (14/11), novos contemplados com o programa municipal de transferência de renda, o Bolsa Social, receberam o cartão para ser utilizado nos supermercados e farmácias do município. A entrega aconteceu na sede do programa, situada na Rua Eixo Urbano Central, Centro de Camaçari.

Fruto de recursos próprios, o cartão conta com o valor de R$100 ou R$150. Após passar por um atendimento rápido, a moradora do Parque Verde I, dona Ediva Maria da Costa, 47 anos, estava contente em se tornar uma das pessoas assistidas pelo programa. “Estou muito feliz, porque é uma ajuda e eu estava precisando muito. Eu tenho um filho que está desempregado e uma netinha. E eu estou vendo que a Prefeitura está trabalhando em benefício da população”, expressou.

Para a secretária da Sedes, Andréa Montenegro, a entrega dos cartões demonstra o compromisso da gestão com a população. “Isso mostra que Camaçari está buscando dar uma proteção social maior aos munícipes que mais precisam e nós estamos neste dia dando continuidade à entrega do benefício do Bolsa Social às pessoas que já passaram pela visita, quando foi feita a análise dos critérios de lei. Além do mais, durante todos esses dias, continuaremos fazendo as visitas. Os interessados podem procurar o Cras [Centro de Referência de Assistência Social] para que todos dentro do perfil do público-alvo possam ser contemplados”.

Com um sorriso no rosto, a beneficiada pelo programa, Erinelza da Silva, não conteve a felicidade. “Agora com o cartão vai ser muito bom, pois eu estava precisando bastante para comprar a comida. O meu marido está desempregado, e com esse cartão já me ajuda. Não demorou muito e o atendimento foi bem tranquilo. As meninas foram muito legais comigo”, comentou.

Bolsa Social – Para ter direito, é preciso que o cidadão seja residente e domiciliado na cidade há, no mínimo, três anos comprovados, e seja inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), além de seguir os critérios socioeconômicos.

Para permanecer no programa os responsáveis devem cuidar para que as crianças tenham a caderneta vacinal em dias e seus dependentes em idade escolar matriculados na rede pública de ensino ou na rede particular com bolsa integral ou semi-integral que não ultrapasse R$ 100,00 de mensalidade. A frequência escolar mínima é de 85%. A iniciativa é gerida pela Diretoria de Proteção Social Básica.

Comente Você Também!

comentários