Estratégias sustentáveis podem criar oportunidades de negócios para Braskem

A empresa criou plano de adaptação investindo em produtos renováveis, alcançando uma redução de mais de 20% na intensidade de emissão de gases de efeito estufa.

A importância do engajamento das indústrias na construção de estratégias para mitigar os impactos do aquecimento global foi defendida pelo diretor de desenvolvimento sustentável da Braskem, Jorge Soto, durante Semana do Clima da América Latina e Caribe, que acontece em Salvador. Um dos palestrantes do painel Construindo a Resiliência climática da indústria – navegando pelos riscos e oportunidades da transição, que aconteceu na manhã desta quarta-feira (21), Soto argumentou que as empresas devem entender o processo de adaptação como oportuno, vislumbrando os aspectos favoráveis do desenvolvimento sustentável.

“Ao adaptar os processos com foco na sustentabilidade, as empresas podem desenvolver produtos renováveis que ajudem a sociedade a alcançar as metas de redução de emissão de gases de efeito estufa, mas que também representem uma perspectiva de negócio”, ponderou Soto, citando o exemplo da Braskem, que intensificou o desenvolvimento de produtos que reduzam ou sequestram as emissões de gás carbônico. Exemplo disso é o Plástico Verde, produzido a partir da cana-de-açúcar, matéria-prima renovável.

Soto ressaltou que a redução de emissão de GEE não pode ser isolada e deve ser realizada em parceria com todos os setores das iniciativas pública e privada.  Posicionamento corroborado pela representante do Ministério do Meio Ambiente do Chile Johana Arriagada Diaz e pela diretora executiva do México e da América Central do Norte da The Nature Conservancy Isabel Studer, que também participaram do painel na Semana do Clima.

Elas defenderam o envolvimento da sociedade civil, empresas e poder público. “Os demais setores também precisam agir proativamente para achar soluções para evitar os impactos ambientais”, explicou Isabel Studer. Moderador do painel, o gerente-executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade da CNI, Davi Bomtempo destacou que as indústrias podem ser parte dessa solução ao investir em inovação e tecnologia.

Os impactos financeiros da adaptação dos processos visando a sustentabilidade também foram destacados durante o evento. Para o diretor da Braskem, é necessário valorar os riscos de não criar uma estratégia climática eficiente, já que a escassez de energia e água afetaria diretamente a produção das indústrias.

Ciente disso, a Braskem promoveu um estudo para identificar os riscos e oportunidades decorrentes das mudanças do clima em 100% das suas operações. Com base nesse levantamento, criou um plano de adaptação focando os riscos climáticos mais significativos. Até o momento, 76% dessas ações já foram implantadas, alcançando resultados expressivos. Houve uma redução de mais de 20% na intensidade de emissão de gases de efeito estufa. Agora a companhia tem a meta de ser a empresa mais eficiente neste quesito até 2030.

Comente Você Também!

comentários