CULTURA: Folia de Reis anima moradores de Barra do Pojuca

A comunidade de Barra do Pojuca prestigiou, sábado,  as comemorações da Folia de Reis, manifestação de cunho religioso que visa manter viva a tradição católica que remete à visita dos três Reis Magos ao menino Jesus.

O grupo Espermacete: do Terno de Reis ao Samba de Roda, comandou os festejos com o tradicional cortejo, saindo do Centro Comercial até a Igreja Católica, na praça principal da localidade.

Estima-se que a tradição da Folia de Reis em Camaçari tenha sido passada de geração em geração, há mais de 90 anos. A secretária de Cultura de Camaçari, Márcia Tude,  assistiu a festa.

Saiba mais sobre o grupo Espermacete:

Segundo a história contada pelo senhor. Cassiano, avô da mestra Nildes, a origem do nome “espermacete” começa com o naufrágio de um navio, que supostamente vinha do Japão, na costa brasileira. Este navio trazia entre suas especiarias uma substância branca, sólida, e oleosa chamada de espermacete. Essa substância era extraída do cérebro de vários cetáceos, principalmente da baleia cachalote. A substância espalhada pela costa, após o naufrágio, foi utilizada pela comunidade costeira não apenas em seu uso próprio, mas, também como alimento ao imaginário popular, surgindo, então, diversas músicas, acompanhadas de coreografias, tendo como base esse fato.

As mulheres nativas da região enquanto trançavam suas tiras de piaçava em lindos chapéus e esteiras, cantavam a história do espermacete. A partir daí, na Folia de Reis, esses nativos se reuniam e saiam pelas casas cantando e dançando, perpetuando a história contada por seus antepassados. Essa história deu origem ao Grupo Espermacete. Herança dos nativos de Barra do Pojuca, que até os dias atuais se mantém viva através do trabalho da mestra Nildes, que há quatro décadas faz da herança recebida, o legado de sua vida.


*Ascom

Comente Você Também!

comentários